Você está vendo uma versão simplificada do site. Cadastre-se e faça o login para ver o conteúdo completo
Visitante
wagner luiz marques - Tutorar
wagner luiz marques
cianorte, PR

AÇÕES FUNDAMENTAIS DO ADMINISTRADOR > 01 - CONTROLE DE ESTOQUES PARA ANÁLISE FUNDAMENTAL EMPRESARIAL - UTILIZADA NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

01 - CONTROLE DE ESTOQUES PARA ANÁLISE FUNDAMENTAL EMPRESARIAL - UTILIZADA NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Próxima aula: 02 - ORÇAMENTO EMPRESARIAL UTILIZADA NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

AÇÕES FUNDAMENTAIS DO ADMINISTRADOR - CONTROLE DE ESTOQUES PARA ANÁLISE FUNDAMENTAL EMPRESARIAL - UTILIZADA NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS wagner luiz marques
cianorte, PR
0
12465

CONTROLE DE ESTOQUES

Estoque de Mercadorias

Tendo em vista que a empresa poderá adquirir um mesmo tipo de mercadoria em datas diferentes, pagando por ela preços que variam, para determinarmos custo das mercadorias estocadas, há necessidade de adotarmos alguns critérios.

Os critérios são:

a) Preço específico: o critério de avaliação do preço especifico consiste em se atribuir a cada unidade do estoque o preço efetivamente pago por ela. É um critério que só pode ser utilizado para mercadorias de fácil identificação física, como por exemplo, imóveis para revenda, veículos usados etc.
b) PEPS: significa primeiro que entra, primeiro que sai. Adotando este critério para valoração dos estoques, a empresa atribuirá às mercadorias estocadas os custos mais recentes.
c) UEPS: significa último que entra, primeiro que sai. Adotando este critério para valoração dos seus estoques, a empresa sempre atribuirá às suas mercadorias em estoque os custos mais antigos guardadas as devidas proteções com as mercadorias que entraram e saíram do estabelecimento.
d) Custo Médio: Adotado este critério, as mercadorias estocadas serão sempre valoradas pela média dos custos de aquisição, sendo estes, atualizados a cada compra efetuada.

OPERAÇÃO COM INVENTÁRIO PERMANENTE E PERIÓDICO

CUSTOS DAS MERCADORIAS VENDIDAS (CMV)

Para se apurar os custos das mercadorias vendidas precisa-se trabalhar com dois sistemas de inventário, dependendo da sistemática de trabalho que se evolui na empresa e o método que se decide aplicar no controle de estoque da empresa.

INVENTÁRIO PERMANENTE:

O critério para avaliação do estoque de mercadorias trabalha com três sistemas de inventário, sendo o controle de estoque pelo PEPS (Primeiro que Entra Primeiro que sai), o UEPS (Ultimo que Entra Primeiro que Sai) e o Médio Ponderado, que trabalham com a média do controle de estoque.

Quando controlamos de forma continua o Estoque de mercadorias, dando-lhe baixa, em cada venda, pelo custo dessas mercadorias vendidas (CMV), esse controle permanente é efetuado sobre todas as mercadorias que estiverem à disposição para venda, isto é, esse controle é efetuado sobre as mercadorias (CMV) e sobre as mercadorias que não foram vendidas (estoque final). Pela soma dos custos de todas as vendas, teremos o custo das mercadorias vendidas (CMV) total do período.

No inventário permanente pode-se utilizar uma ficha de controle para se conhecer o saldo em estoque.

No sistema PEPS (Primeiro que Entra Primeiro que Sai), a este controle com base neste critério, daremos baixas no custo da seguinte maneira: à medida que ocorrem as vendas, vamos dando baixa a partir das primeiras compras, o que eqüivaleria ao raciocínio de que vendemos primeiro as primeiras unidades compradas.

No sistema UEPS (Ultimo que Entra Primeiro que Sai), faz-se o contrario do sistema anterior, dando como custo, o valor da ultima mercadoria entrada, assim, a entrada é a primeira a sair.

No sistema Médio Ponderado Móvel, para evitar o controle de preço por lotes, como nos métodos anteriores, e para fugir aos extremos, existe a possibilidade de se dar como custo o valor médio das compras. Este valor médio é bastante utilizado pois, pode ser a média das compras no período, ou só do ultimo mês etc., o mais utilizado, entretanto e, mais lógico também, é o valor médio do custo do estoque existente. Chama-se de ponderada móvel, pois, o valor médio de cada unidade em estoque se altera pela compra de outras unidade por um preço diferente. Assim, ele será localizado dividindo-se o custo total do estoque pelas unidades existentes.

INVENTÁRIO PERIÓDICO:

Quando efetuamos as vendas sem um controle paralelo e concomitante do nosso estoque e, portanto, sem controlar o Custo das Mercadorias Vendidas. Quando necessitamos apurar o Resultado obtido com a venda de mercadorias (RCM), fazemos um levantamento físico para avaliação do estoque de mercadorias disponíveis para venda durante o período e, com esse estoque final (apurado extra contabilmente), obtemos o custo das mercadorias vendidas (CMV) nesse período.

Quando não é efetuado o controle contínuo do nosso Estoque de Mercadorias e, tampouco do nosso CMV, para a determinação deste último é necessário fazer a dedução. Fórmula para se achar o CMV= Estoque Inicial + Compras Liquidas - Estoque Final.

INVENTÁRIO PERMANENTE:

Para apurar o custo das mercadorias vendidas utilizando o sistema de inventário permanente necessita haver um controle individual de cada referência ou produto, e sabe-se que existem três métodos para controle do estoque pelo inventário permanente, conforme observado anteriormente.

Para esclarecer de forma clara e precisa utilizará como exemplo inicial o inventário permanente o método PEPS – Primeiro produto que entra no estoque é o primeiro produto que irá sair do estoque.

Sabe que na empresa utilizada no exemplo, iniciou suas compras no dia 05 de fevereiro e adquiriu pela nota fiscal de entrada 100 unidades do produto “X” avaliado por $ 10.000,00 a unidade, totalizando a nota fiscal pelo valor de $ 1.000.000,00. No dia 08 de fevereiro vendeu 20 unidades. No dia 10 de fevereiro adquiriu 50 unidades avaliadas por $ 11.300,00 a unidade, totalizando a nota fiscal de entrada por $ 565.000,00. No dia 19 de fevereiro adquiriu novamente 50 unidades, mas o valor da unidade foi negociado por $ 15.900,00, totalizando assim a nota fiscal de entrada por $ 795.000,00. No dia 28 de fevereiro a empresa efetuou a venda de 140 unidades. Identificar o valor do Custo das mercadorias vendidas no mês de fevereiro e o saldo final do mês em estoque. Sabe-se que a empresa controla o seu estoque pelo inventário permanente, utilizando o método PEPS.

Mercadorias: Calça Jeans
Método do Controle: PEPS.
Data Histórico Entrada Saída Saldo
Quant V.Unit. V.Total Quant V.Unit. V.Total Quant. V.Unit. V.Total
05/02 NF compra 100 10.000 1.000.000 100 10.000 1.000.000
08/02 NF venda 20 10.000 200.000 (20) 10.000 (200.000)
Saldo Líquido 80 10.000 800.000
10/02 NF compra 50 11.300 565.000 50 11.300 565.000
Saldo Líquido 130 --------- 1.365.000
19/02 NF compra 50 15.900 795.000 50 15.900 795.000
Saldo Líquido 180 --------- 2.160.000
28/02 NF venda 80 10.000 800.000 (80) 10.000 (800.000)
50 11.300 565.000 (50) 11.300 (565.000)
10 15.900 159.000 (10) 15.900 (159.000)
Total das Saídas 140 --------- 1.524.000 (140) --------- (1.524.000)
Saldo Líquido do Estoque 40 15.900 636.000
Total do CMV no mês 160 --------- 1.724.000

Este próximo exemplo a ser apresentado é também o inventário permanente, mas usando o método UEPS – último produto que entra no estoque é o primeiro produto que irá sair do estoque.

Sabe que na empresa utilizada no exemplo, iniciou suas compras no dia 05 de fevereiro e adquiriu pela nota fiscal de entrada 100 unidades do produto “X” avaliado por $ 10.000,00 a unidade, totalizando a nota fiscal pelo valor de $ 1.000.000,00. No dia 08 de fevereiro vendeu 20 unidades. No dia 10 de fevereiro adquiriu 50 unidades avaliadas por $ 11.300,00 a unidade, totalizando a nota fiscal de entrada por $ 565.000,00. No dia 19 de fevereiro adquiriu novamente 50 unidades, mas o valor da unidade foi negociado por $ 15.900,00, totalizando assim a nota fiscal de entrada por $ 795.000,00. No dia 28 de fevereiro a empresa efetuou a venda de 140 unidades. Identificar o valor do Custo das mercadorias vendidas no mês de fevereiro e o saldo final do mês em estoque. Sabe-se que a empresa controla o seu estoque pelo inventário permanente, utilizando o método UEPS - último produto que entra no estoque é o primeiro produto que irá sair do estoque.

Mercadorias: Calça Jeans
Método do Controle: UEPS.
Data Histórico Entrada Saída Saldo
Quant V.Unit. V.Total Quant V.Unit. V.Total Quant. V.Unit. V.Total
05/02 NF compra 100 10.000 1.000.000 100 10.000 1.000.000
08/02 NF venda 20 10.000 200.000 (20) 10.000 (200.000)
Saldo Líquido 80 10.000 800.000
10/02 NF compra 50 11.300 565.000 50 11.300 565.000
Saldo Líquido 130 --------- 1.365.000
19/02 NF compra 50 15.900 795.000 50 15.900 795.000
Saldo Líquido 180 --------- 2.160.000
28/02 NF venda 50 15.900 795.000 (50) 15.900 (795.000)
50 11.300 565.000 (50) 11.300 (565.000)
40 10.000 400.000 (40) 10.000 (400.000)
Total das Saídas 140 --------- 1.760.000 (140) --------- (1.760.000)
Saldo Líquido do Estoque 40 10.000 400.000
Total do CMV no mês 160 --------- 1.960.000

Este próximo exemplo a ser apresentado é também o inventário permanente, mas usando o método Médio Ponderado Móvel.

Sabe que na empresa utilizada no exemplo, iniciou suas compras no dia 05 de fevereiro e adquiriu pela nota fiscal de entrada 100 unidades do produto “X” avaliado por $ 10.000,00 a unidade, totalizando a nota fiscal pelo valor de $ 1.000.000,00. No dia 08 de fevereiro vendeu 20 unidades. No dia 10 de fevereiro adquiriu 50 unidades avaliadas por $ 11.300,00 a unidade, totalizando a nota fiscal de entrada por $ 565.000,00. No dia 19 de fevereiro adquiriu novamente 50 unidades, mas o valor da unidade foi negociado por $ 15.900,00, totalizando assim a nota fiscal de entrada por $ 795.000,00. No dia 28 de fevereiro a empresa efetuou a venda de 140 unidades. Identificar o valor do Custo das mercadorias vendidas no mês de fevereiro e o saldo final do mês em estoque. Sabe-se que a empresa controla o seu estoque pelo inventário permanente, utilizando o método Médio Ponderado Móvel.

Mercadorias: Calça Jeans
Método do Controle: Médio Ponderado Móvel
Data Histórico Entrada Saída Saldo
Quant V.Unit. V.Total Quant V.Unit. V.Total Quant. V.Unit. V.Total
05/02 NF compra 100 10.000 1.000.000 100 10.000 1.000.000
08/02 NF venda 20 10.000 200.000 80 10.000 800.000
10/02 NF compra 50 11.300 565.000 130 10.500 1.365.000
19/02 NF compra 50 15.900 795.000 180 12.000 2.160.000
28/02 NF venda 140 12.000 1.680.000 40 12.000 480.000
Total do CMV no mês 160 --------- 1.880.000


Resumo dos métodos de apuração do estoque, utilizando o Inventário Permanente:

Método CMV Estoque Final
PEPS 1.724.000 636.000
UEPS 1.960.000 400.000
Média 1.880.000 480.000

Segundo a Legislação tributária o método UEPS - último produto que entra no estoque é o primeiro produto que irá sair do estoque, as leis fiscais não autoriza as empresas enquadrada na tributação de Lucro Real, devido o resultado do Custo das Mercadorias Vendidas, serem mais altas do que as demais metodologia, com isso diminui a lucratividade e o imposto de renda pessoa jurídica e a contribuição social sobre os lucros sofrem diminuição na arrecadação.

Para as empresas analisarem a tributação, a metodologia do PEPS - primeiro produto que entra no estoque é o primeiro produto que irá sair do estoque. Neste caso o que não compensa para empresa é esse método, devido a lucratividade ser apurada maior e com isso contribui-se mais com o imposto de renda pessoa jurídica e a contribuição social.

Portanto para ser benéfico para as empresas e para o fisco, a melhor forma quando o estoque é controlado pelo inventário permanente, se utiliza o método Médio Ponderado Móvel, é aceito pelo fisco e assim fica-se em uma média para haver uma contribuição justa e benéfica para ambos os sistemas econômicos, organização e governo.

INVENTÁRIO PERIÓDICO:

Este inventário é realizado pelas empresas que não controle o seu estoque por meio individualizado, ou seja, permanentemente, dessa forma o sistema de controle do Custo das Mercadorias Vendidas, é realizado através de um controle de formula que chaga claramente aos resultados.

A fórmula é

CMV = Estoque Inicial + Compras Líquidas – Estoque Final.

Para apurar o custo das mercadorias vendidas utilizando o sistema de inventário periódico necessita haver um levantamento através de balanço dos estoques para saber qual é o estoque final, buscando através dos relatórios de inventário o estoque anterior ou inicial e mais as compras líquidas do período para chegar realmente ao custo apurado pelas mercadorias vendidas no período pré-determinado.

Para esclarecer de forma clara e precisa utilizará como exemplo a seguir:

Sabe que na empresa utilizada no exemplo, iniciou seu estoque com $ 200.000,00 de estoque de mercadorias, no decorrer do mês comprou no dia 05 de fevereiro e adquiriu pela nota fiscal o valor de $ 1.000.000,00. No dia 10 de fevereiro adquiriu através da nota fiscal de entrada o valor de $ 565.000,00. No dia 19 de fevereiro adquiriu novamente mercadorias por $ 795.000,00. No dia 28 de fevereiro a empresa efetuou o levantamento do estoque e identificou através de balanço que o estoque final esta avaliado em $ 480.000,00. Identificar o valor do CMV – Custo das mercadorias vendidas.

CMV = $ 200.000,00 + ($ 1.000.000,00 + $ 565.000,00 + $ 795.000,00) - $ 480.000,00

CMV = $ 200.000,00 + $ 2.360.000,00 - $ 480.000,00

CMV = 2.080.000,00

Resumo dos métodos de apuração do estoque, utilizando o Inventário Periódico:

Método CMV Estoque Final
Periódico 2.080.000,00 480.000,00

Sendo assim o controle de estoque pode ser realizado de várias formas, todas se aproxima da realidade, para colocar em prática depende da administração decidir a melhor maneira para apurar os resultados e avaliar a lucratividade da organização.

Portanto indicar a melhor maneira de decidir depende se estão avaliando a empresa na forma fiscal ou na forma gerencial, para isso quem decide é especificamente a equipe de diretores, administradores e controles da empresa.


CONTROLE DE ESTOQUES

Possibilidade de avaliar o volume de recursos aplicados em estoque.

Condições de avaliar o volume de recursos aplicados em grupo de estoque.

Verificar e acompanhar a rotação dos estoques.

Calcular o custo da mercadoria vendida (CMV).

Este controle de estoques visa, ao dirigente da empresa, utilizar instrumentos que facilitem o controle dos estoques, de maneira rápida e eficiente, a fim de que possa obter informações importantes que lhe possibilitem, entre outros:

• Avaliar o volume de dinheiro aplicado em estoques;
• Avaliar o volume de dinheiro aplicado em cada grupo de estoques;
• Verificar e acompanhar a rotação de giro dos estoques;
• Calcular o custo da mercadoria vendida (CMV) ou custo do material consumido;
• Conhecer a quantidade existente e a média das vendas/compras num determinado período.

Com essas informações poderão decidir e administrar melhor o que deve ser comprado, em que quantidade e o quê é mais importante para reforçar a venda.

PROCEDIMENTO PARA IMPLANTAÇÃO

Para que o controle seja eficazmente implantado, deverá ser considerado:

A definição de códigos para as mercadorias, separadas por grupo de produtos classificados de acordo com o ramo da empresa.

Toda a movimentação de mercadorias/materiais deverá ser registrada através de uma nota/controle e centralizada numa única pessoa para os devidos registros, evitando assim, duplicidade de lançamentos.

O formulário que em questão, foi desenvolvido, especialmente testado e implantado em muitas empresas. Veja a seguir como proceder em relação aos estoques.

ILUSTRAÇÃO DE UMA CLASSIFICAÇÃO ABC EM ESTOQUES:
Produto

A Material Estoque 10%
Dinheiro Aplicado 70%
B Material Estoque 30%
Dinheiro Aplicado 25%
C Material Estoque 25%
Dinheiro Aplicado 05%

O produto “A” é aquele que se mantém em pouca quantidade no estoque, mas, o valor monetário, é grandemente aplicado. Exemplo: Uma empresa que vende motores, concessionárias etc.

O produto “B” é aquele que se mantém na média: tanto o produto em estoque, como também o valor monetário são praticamente iguais. Exemplo: Uma empresa que comercializa roupas.

O produto “C” é aquele que se mantém uma enorme quantidade de produto em estoque, mas, o valor monetário aplicado é pouco. Exemplo: Uma empresa que comercializa parafusos, arruelas etc.

A IMPORTÂNCIA DOS ESTOQUES

Normalmente, os estoques representam um dos investimentos mais elevados nas contas que compõem a estrutura de capital de giro nas empresas simplificadas. Essas contas são representadas pelas aplicações em caixa, contas a receber e estoques. Em função desse alto investimento, o item estoque tem grande importância no contexto da empresa. Portanto, quando o empresário for realizar compras para suprir as necessidades de sua empresa, deve analisar, para evitar que o entusiasmo do presente se transforme em problemas para o futuro.

Pensando assim, o empresário deve procurar trabalhar com estoques que se enquadrem em padrões mínimos e máximos, ditados pela segurança e pelo bom senso. A classificação básica que as empresas fazem, quanto aos estoques, geralmente é a seguinte: Empresas Comerciais: Mercadorias e Empresas Industriais: Matéria-prima, Produtos em processo e Produtos Acabados.

NÍVEL DE ESTOQUES

Em função da importância dos estoques e, para garantir a rentabilidade do capital aplicado, é ideal que o empresário estabeleça níveis de estoques para cada item, visando, principalmente, reduzir o investimento desnecessário e possibilitar o fluxo normal de produção/vendas de forma contínua e uniforme evitando possíveis interrupções.

ESTOQUES MÍNIMOS

É a quantidade mínima de uma mercadoria e/ou matéria-prima que a empresa deve manter em estoque para atender às suas necessidades por determinado período.


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

Esta no livro MARQUES, Wagner Luiz. DIÁRIO DE UM EMPREENDEDOR - A REAL INFORMAÇÃO PARA OS GESTORES DE SUCESSO. Gráfica Vera Cruz. Cianorte – Paraná e http://books.google.com.br. 2009. Páginas 36 e 37.
MARQUES, Wagner Luiz. CONTABILIDADE GERENCIAL A NECESSIDADE DAS EMPRESAS. Gráfica e Editora Bacon Ltda. Cianorte. 2004. Página 53 a 57.

DIÁRIO DE UM EMPREENDEDOR


O empreendedor é uma pessoa iluminada, detecta coisas que outros não conseguem enxergar. A sua luz brilha no horizonte, descobre formas, métodos e pressente ações que o tornam diferente dos demais. Para que isso se torne um estudo científico e inovador precisa-se fundamentar através do estudo de cada capítulo que compõem este livro.

Em “CONTABILIDADE A FERRAMENTA BÁSICA PARA O EMPREENDEDOR” este tema nos mostra a necessidade do empreendedor conhecer qual é a função de contabilidade gerencial, sua importância e fundamentação cientifica que leva o administrador a detectar seus problemas financeiros, realmente a contabilidade gera relatórios que possibilitam ao empresário tomar suas decisões corretas, obedecendo o tempo necessário. Em “ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA: DECISÃO LÓGICA PARA O EMPREENDEDOR” controla as finanças, avalia os custos e identifica o prazo de pagamento, recebimento e controle geral do estoque, juntamente com o fluxo de caixa. “PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING UM MÉTODO GERENCIAL PARA O EMPREENDEDOR” avalia a missão empresarial, as estratégias, a tática o planejamento organizacional e as etapas para avaliar o cliente externo da empresa. “RECURSOS HUMANOS E ROTINAS TRABALHISTAS A ESSÊNCIA DO EMPREENDEDOR” este capítulo avalia o todo de um cliente interno, a forma de recrutar, selecionar, treinar e as rotinas trabalhistas, demonstrando a formação geral de recursos humanos. “ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO A EXISTÊNCIA DO EMPREENDEDOR” este avalia a qualidade de se produzir, a forma de reduzir desperdícios empresariais, a real necessidade de implantar qualidade total e sobre logística a forma ideal para reduzir custos na sua distribuição e formação de layout. “SISTEMA DE INFORMAÇÕES OS DADOS ARMAZENADOS PARA O EMPREENDEDOR” fala-se da necessidade atual do Sistema de Informação Gerencial, como isso proporciona melhorias para as empresas e beneficio para o empreendedor. “QUALIDADE TOTAL O CAMINHO PARA A EXCELÊNCIA DO EMPREENDEDOR”. Tanto se fala em qualidade, atendimento, eficácia e eficiência não poderiam deixar de identificar como se implanta a qualidade total nas empresas, as melhores ferramentas de apoio para a implantação da qualidade total. E para concluir, o livro identifica o que o empreendedor busca quando monta o seu empreendimento. VENDA: A ANÁLISE FINAL PARA O BOM EMPREENDEDOR, este capítulo demonstra claramente a necessidade de se avaliar cada capitulo demonstrado e métodos que a empresa possa utilizar para fidelizar o seu cliente.

Portanto, o empreendedor não pode nunca estar satisfeito com o que fez, mas sim, buscar o que deve sempre fazer, e para isso, o livro DIÁRIO DE UM EMPREENDEDOR apresenta tudo o que o empreendedor precisa saber e, ainda mais, demonstrar a liderança que deve existir dentro de uma organização.

 

Próxima aula: 02 - ORÇAMENTO EMPRESARIAL UTILIZADA NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Comentários

Fernando Marques Campos - Tutorar
Fernando Marques Campos
Domingo, 30 de Junho de 2013, 16:20h

A classificação ABC dos estoques deve ser feita pelo giro de mercadorias ou pelo valor agregado?

Alunos matriculados (28)
Cadastre-se e acesse a maior rede de conteúdo educacional disponível na Internet
Interdisciplinariedade